Meu pai é viciado na bebida e no fumo.

Ao Centro Redentor

Antes de tudo desejo que estas curtas linhas o encontrem com boa disposição e saúde.

Ainda sou um garoto, na verdade, mas o que vejo no meu pai já passou dos limites.

Desejo que o senhor me faça um grande favor, porque em nossa casa estamos todos desgraçados. O meu pai parece uma pessoa a quem rogaram praga.

Queria que o senhor nos orientasse o melhor possível, nem que seja preciso eu trabalhar dois ou três meses para pagar. Queria que o senhor tirasse dele o vício da bebida e do fumo, para podermos juntar algum dinheiro e levarmos para nossa terra. Estamos vivendo muito mal. Peço verificar em sua Doutrina o nosso viver e também explicar como posso enviar o dinheiro que será preciso para isso.

Nada mais por hoje, termino.

Seu pai devia envergonhar-se

Prezado ...,

Recebemos sua carta de ...

Você talvez não saiba que o espírito vem de muitas encarnações, e que novo, como no seu caso, só é o corpo.

Os responsáveis pelas fraquezas e vícios que o seu pai alimenta, tornando-o presa fácil dos obsessores que tem atraído com os seus maus pensamentos, e fazem dele um pobre coitado, são a ignorância do que somos e estamos fazendo neste mundo, e o desconhecimento de onde viemos e para onde vamos, após a desencarnação.

As religiões nada explicam sobre isso, ou por ignorarem as leis espirituais que regem o universo, ou para defender interesses, a maioria deles inconfessáveis. Você revela uma grande maturidade espiritual, e está sendo testemunha da situação a que chegam os infelizes que desconhecem que o espírito encarna para evoluir e resgatar, não raro com grande sofrimento, débitos espirituais contraídos em encarnações passadas, pelo mau uso do livre-arbítrio.

Seu pai, ao invés de procurar resgatar esses débitos por meio de trabalho, luta, sofrimento, tornando-se espiritual e materialmente vitorioso, mais se afundou na materialidade, aumentando, desse modo, as dívidas espirituais que terá de resgatar nas próximas encarnações, com possibilidade de estagiar na atmosfera da Terra por longo espaço de tempo, depois de desencarnar, como estão fazendo milhões de espíritos que procederam da mesma maneira, e hoje não passam de obsedados e obsessores dos encarnados que os atraem com os mesmos vícios que alimentaram durante a encarnação. Para os mundos espirituais, ninguém pode levar sujeira.

O Astral Superior respeita as leis naturais e não intervém no livre-arbítrio humano. Se dependesse do Astral Superior, e não de nós mesmos, todos seríamos virtuosos, dignos e felizes. Mas o trabalho de aperfeiçoamento, sem o qual ninguém evolui, depende, exclusivamente, de nós. Claro que o Astral Superior envolve os seres, quando estes estão a defender causas justas e, pois, irradiando pensamentos valorosos, intuindo-os e fortalecendo-lhes o ânimo.

Mas, como são Espíritos de Luz, portanto purezas astrais, e estão, como todos nós, sujeitos à lei de atração e afinidade de pensamento, não se podem aproximar, por haver repulsa natural de bêbados, pusilânimes, intrigantes, covardes, medrosos, enfim de quem pensa e procede mal. Estes infelizes vivem ligados à corrente do mal, a mesma corrente em que o astral inferior está ligado. Procure compreender isto, para melhor orientar-se na vida e saber que somente pensando bem e cumprindo os seus deveres materiais e espirituais poderá ter a assistência das Forças Superiores.

Veja se convence o seu pai a comportar-se como um homem verdadeiro, reagindo contra os vícios. Ele devia envergonhar-se do que vem fazendo, e pedir ao filho, que se revela tão valoroso, desculpas pelo que tem feito, e nunca mais levar um cálice de álcool nem um cigarro à boca.

O espírito não encarna para alimentar vícios tão prejudiciais ao seu futuro.

Veja se o pai lê o livro Cartas doutrinárias; em seguida, comece a ler e copiar o livro Racionalismo Cristão. Isso o auxiliará a reerguer-se e a regenerar-se, pois enquanto estiver com o pensamento preso à leitura irá se limpando psiquicamente e afastando os obsessores. É claro que estes vão dificultar, influenciando-o para recusar-se a ler e até lhe provocando sono. Desde que ele comece, ainda que leia pouco, todos os dias, já será o primeiro passo, e outros passos poderá dar, cada qual com maior proveito.

Leia você também essa e as demais obras editadas pelo Centro Redentor, para adquirir a consciência de um verdadeiro racionalista cristão e, apoiado em seus ensinamentos, construir um futuro de que mais tarde se tenha de orgulhar, aproveitando ao máximo a encarnação, com os olhos voltados não apenas para as coisas da Terra, que nela ficam, mas para o aumento do patrimônio espiritual que já possui, e que, este sim, o acompanhará eternamente.

Leia também o folheto Limpeza psíquica e proceda como ele ensina, bem como os demais, e dê-os ao seu pai para que também os leia.

Se quiser adquirir alguns dos livros editados pelo Centro Redentor, escreva-nos a respeito, indicando quais os da relação que deseja que lhe enviemos. O valor dos mesmos poderá ser depositado no Banco ..., para ser creditado na conta ..., da agência ...

Com votos de saúde e alegria, apresentamos-lhe

Fraternais saudações,

Pelo Centro Redentor.

 

De "Meu pai é viciado na bebida e no fumo" para o índice desta seção

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved