A doença do meu filho é psíquica

Ao Centro Redentor

Tenho um filho de trinta e um anos de idade. Solicito se dignem fazer-lhe algum bem, dentro das possibilidades.

Este rapaz nasceu normalmente, cresceu, estudou até a quarta classe e fez o primeiro ano do seminário. Tirou o Curso de Mecânico por correspondência, aprendeu a arte de serralheiro e distinguiu-se como mecânico. Cumpriu o serviço militar como primeiro cabo mecânico.

No regresso do serviço militar, contraiu hepatite e dela se curou. Passado meio ano, percebi um comportamento estranho de sua parte, desconfiando das outras pessoas, dizendo que todos olham para ele e dele falam, repetindo isso constantemente. Tudo começou quando passou a freqüentar um café, acompanhado de uma amiga por quem tem simpatia, suponho.

Recorri a vários médicos, incluindo um psiquiatra que o mandou internar por dois meses, chegando os médicos à conclusão de que a doença dele é de fundo nervoso.

Como não se recuperou, procurei um médico neurologista, que o internou agora em uma clínica particular, onde foi tratado com toda a atenção. Passados sessenta dias, o médico deu-lhe alta, pois meu filho não tinha nada.

Trouxe-o de novo para casa, mas o seu estado de saúde piorou, a ponto de abandonar o trabalho. Ficava em casa num quarto escuro e andava de rastos, parecendo mais um bicho que um ser humano. Chorava como criança.

Daí em diante eu e sua mãe, saturados de tanto sofrer e orientados para mudarmos de ambiente, levamos nosso filho para a casa de familiares meus. Estes familiares aconselharam levá-lo a um padre de..., para observar o seu estado. Recuperou-se com algumas rezas, a que eu assistia. Empregou-se como serralheiro nessa cidade, permanecendo nesse trabalho por seis meses.

Passado esse tempo, meus familiares, com quem meu filho morava, pediram-me para buscá-lo, pois as crises tinham voltado. Já em nossa casa, essas crises se tornaram tão fortes que não me encara e nem as próprias quatro irmãs.

Agradeço o bem que lhe possam fazer, pois nem eu nem os médicos o curamos. Quando sugiro que vá ao médico responde que não está doente, que não precisa dele; mas toda gente nota que o meu filho não tem conversa que se aproveite, o que não é normal. Uma coisa é certa: agora vai trabalhar e conduz corretamente um carro que possui.

Agradeço também se me derem uma resposta o mais breve possível, visto o meu sofrimento e o dos meus familiares ser tão grande.

Termino com os meus melhores cumprimentos.

Em se tratando de obsessão, não adianta 
recorrer à medicina materialista.

Prezado Senhor,

Recebemos sua carta de ...

Seu filho padece de obsessão, produzida por espíritos do astral inferior. Os obsessores são atraídos por maus pensamentos, fraquezas e vícios. Para a sua completa normalização, basta submeter-se à disciplina constante do livro Prática do Racionalismo Cristão, capítulo segundo. Nesse capítulo está explicada a causa do mal e a disciplina a ser aplicada, para completa normalização do obsedado.

Não adianta, em se tratando de obsessão, recorrer à Medicina materialista, pois o mal psíquico, tendo como causa as fraquezas, os vícios e os maus pensamentos, não se cura com drogas, por atuarem estas no corpo e não no espírito, onde o mal tem a sua sede.

Estando o seu filho, por enquanto, sujeito, apenas, a crises periódicas, o tratamento ainda é mais fácil, e o êxito absoluto e relativamente rápido muito vai depender dele. É claro que o astral inferior vai intuir-lhe certa resistência a submeter-se às regras disciplinares de conduta, mas ele acabará por compreender que tem sido vítima de freqüentes atuações, e, pois, que só terá vantagem em remover, pelo esclarecimento, as causas efetivas da anormalidade. Começará por ler, com muita atenção, o livro Cartas doutrinárias, editado pelo Centro Redentor, relendo, sempre, as que lhe parecerem mais importantes. Terminada a leitura de Cartas doutrinárias, passará a ler a obra Racionalismo Cristão, meditando sobre o que for lendo e copiando os capítulos que mais lhe interessarem. É claro que durante essa leitura, com o espírito atento, criará condições ambientais para que o Astral Superior seja atraído e esparja sobre ele fluidos curadores, beneficiando, a um só tempo, o corpo e o espírito. O terceiro livro a ser lido deverá ser Cartas oportunas sobre espiritismo, e depois aqueles que mais forem do seu agrado.

Quando se dispuser a copiar os capítulos do livro Racionalismo Cristão estará praticamente normalizado e de posse de conhecimentos que lhe vão ser utilíssimos durante toda a existência terrena.

Os pais deverão, do mesmo modo, esclarecer-se, através da leitura recomendada, e desde o recebimento desta carta, que o filho poderá ler também, fazerem a limpeza psíquica, com a presença dos familiares, conforme ensina o folheto desse nome que, com outros, lhe estamos remetendo, para que pais e filhos os leiam.

Essas obras poderão ser adquiridas no Centro Redentor do..., do qual é presidente o ilustre médico, senhor ..., ou nesta Casa Chefe do Racionalismo Cristão.

Procurem manter um clima espiritual elevado no lar, com disciplina e bons pensamentos, para que o Astral Superior a todos possa assistir. Nada de vícios, nem mesmo os de fumar e beber, por serem um ímã de atração do astral inferior.

Fraternais saudações,

Pelo Centro Redentor.

 

De "Meu filho" para a página desta seção

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved