Por que faltam oportunidades para reencarnação?

Luiz Hamilton Menossi

Parece incrível, mas num mundo com 7 bilhões de habitantes faltam oportunidades para reencarnação!

Embora bilhão soa-nos como um número gigantesco, segundo o livro essencial Racionalismo Cristão "a reencarnação não é de fácil obtenção, por ser grande o número de espíritos a reencarnar, ultrapassando as possibilidades existentes". Isso acontece por diversas razões, por exemplo, o próprio processo evolutivo social atual.

As jovens atuais, ao contrário das mulheres de gerações anteriores, já não almejam muitos filhos: um ou dois, para lhes garantir mais oportunidades na vida. Muitas decidem ter filhos acima de 30 anos, adiando a maternidade em prol da carreira.

O Brasil, por exemplo, está se aproximando desse padrão reprodutivo já observado em países desenvolvidos. Muitos fatores da vida moderna contribuem para a inserção e permanência da mulher no mercado de trabalho. Elas desempenham atualmente papel importante no sustento da casa. Nesse cenário, também cuidam da casa, dos filhos e dos idosos, com "dupla jornada de trabalho". Os homens precisam ajudar as mulheres porque, no contexto atual, é também "na associação de interesses, sentidos com inteligência e realizados com dedicação, que se formam e consolidam os laços espirituais que unem os dois gêneros". Com certeza, esse entendimento e compreensão, e a mudança do papel e do comportamento de ambos têm implicações positivas nas áreas de saúde, planejamento familiar, trabalho e sistemas de suporte para as crianças, os jovens, e os mais velhos. Isso significa aperfeiçoamento, crescimento, evolução!

O livro Racionalismo Cristão, 44ª edição, ano 2010, com competência e clareza nos revela a dimensão da presença do homem e da mulher na família no atual contexto social: "O comportamento da coletividade, refletindo o estado da maioria dos seus componentes, representa o nível médio do aperfeiçoamento de um povo, revelando sua capacidade produtiva e realizadora, tanto no campo material como no espiritual.

Nessas condições, cresce de importância a constituição da família, através do verdadeiro entrelaçamento espiritual e material dos cônjuges para as responsabilidades do lar e a perpetuação da espécie. Aos que se casam é indispensável a compreensão de que os deveres e direitos de cada cônjuge são IGUAIS e COMPLEMENTARES na estruturação da família".

Ribeirão Preto, agosto 2012

 

Página Principal da Gazeta  | Página anterior

Gazeta do Racionalismo Cristão - Uma filosofia para o nosso tempo