Formação de nova família

Após dois anos e meio separado, começo um novo relacionamento. Do anterior restaram um filho, uma inimizade, mágoas e crescimento oriundo do aprendizado com erros. Este novo relacionamento é calcado na base da amizade, estamos nos conhecendo, procurando cada um crescer como ser dentro desta relação, com calma, paciência, tolerância e respeito. Mas, como realmente acreditar novamente em um relacionamento? Como acreditar nas pessoas, se hoje a mãe do meu filho, a pessoa que gerou um filho meu, viveu comigo, planejou uma vida comigo, é hoje minha inimiga?

Nada mais justo que o senhor tenha pretensões de formar um novo lar, uma vez que o anterior já se encontra, infelizmente, desfeito. Sendo freqüentador de uma casa racionalista cristã, como diz em mensagem anterior, é de se supor que é, também, um estudioso da Doutrina e dos princípios por ela explanados. Por isso, temos certeza de que tudo fez para evitar que o casamento anterior se desfizesse.

Ao principiar um relacionamento visando à formação de uma família, é muito importante que o casal se entenda em seus propósitos. Se ela não conhecer os princípios racionalistas cristãos, é aconselhável que o senhor lhe exponha a Doutrina e a convide para assistir a algumas reuniões públicas, a fim de que ela possa fazer uma avaliação dos pontos de vista do futuro esposo ou companheiro.

É oportuno lembrar as palavras do mestre Antonio Cottas: "A vida de um casal deve ser bem harmoniosa. O querer de um precisa ser o querer do outro. Lar é compreensão, é mútuo respeito, é tolerância, elementos estes que, quando permanentemente cultivados, reforçam os elos espirituais que devem prender a mulher ao marido e o marido à mulher."

Continue lendo e estudando com determinação as obras editadas pela Doutrina, principalmente o livro básico, Racionalismo Cristão, bem como A vida fora da matéria e Cartas doutrinárias. À medida que seu espírito for recebendo luzes oriundas desses estudos, perceberá que cada um constrói seu próprio futuro com o seu trabalho, com as suas ações, com os pensamentos que alimenta e cultiva. Numa só palavra, a nossa "conduta" é a grande artífice de nossa felicidade ou infelicidade.

O casal, vivendo sob os princípios racionalistas cristãos, estará construindo um lar feliz e perene. Estará, também, propiciando oportunidades para muitos espíritos sequiosos de encarnar num lar onde terão recursos psíquicos para o bom aproveitamento da encarnação.

Em resumo, havendo entendimento prévio entre o casal, não há por que não prosseguir, com confiança no futuro.

De "Formação de nova família" para a página desta seção

Copyright©2005 racionalismo-cristao.org.br. All Rights Reserved